Estes são espectaculares!

Acidentes em Piscinas
Acidentes em Piscinas


Como acordar um cão!
Como acordar um cão!


Pequenas coisas que fazem com quem um rapaz se apaixone por uma rapariga
Pequenas coisas que fazem com quem um rapaz se apaixone por uma rapariga


Reacções aos gemidos quando alguém faz exercícios no ginásio
Reacções aos gemidos quando alguém faz exercícios no ginásio


Modelo de 19 anos não consegue arranjar emprego porque é gorda. Vê só como ela realmente é!
Modelo de 19 anos não consegue arranjar emprego porque é gorda. Vê só como ela realmente é!


 

 
 

Cadela paraplégica ajuda a cuidar de cães na clínica onde vive

Os animais não cansam de dar lições sobre amor e empatia aos humanos. A cadela Vitória é certamente mais um desses comoventes casos. Residente e mascote na clínica CitVet em Osasco, na Grande São Paulo, Brasil ela, que não tem o movimento das patas traseiras, costuma ajudar outros cães internados e conforta os que estão em seus momentos finais.

“Quando a Vitória para na frente de algum animal e fica olhando fixo, já sabemos que tem algo acontecendo”, conta Simone Regina Pereira de Godoy, sócia da clínica. “Já tivemos diversos casos em que ela deita junto do cão e fica com ele até o fim, como se estivesse confortando o animal na hora de sua morte”, conta ela, que acredita na sensibilidade aguçada dos animais. “Ela sente. É como se fosse acompanhar o animal na sua partida”, diz.

Em casos de internamento não tão graves, a cadelinha também tem um papel importante: o de estimular a recuperação do doente. “Quando percebe que o animal está melhorando, a Vitória começa a chamar para brincar, leva brinquedo”, conta.

Os tutores dos animais internados aprovam a interação – e agradecem com presentes. “Eles entendem o papel dela aqui e costumam trazer comida e brinquedos”, conta Simone.

O papel de cura que Vitória desempenha é físico e também emocional. Negão, de oito anos, é um exemplo de como a amizade pode ajudar a curar as feridas do abandono. “Ele chegou aqui paraplégico e muito bravo”, lembra Simone. Assim como Vitória, o cão foi abandonado e atropelado – e perdeu o movimento das patas traseiras.

Vitória, então, passou a chamar o amigo para brincar e a dormir com ele sempre que havia uma hipótese. Negão nunca deixou de ser um senhor rabugento, mas a convivência com a cadelinha ajudou a amenizar seu mau humor. Hoje, os dois continuam a dividir o colchão em cochilos durante o dia.

Outro “morador” que recebe a atenção de Vitória é Cidão, um cão idoso com poucos movimentos nas patas que chora bastante por ser muito carente. A cadelinha costumar dormir com ele para acalmá-lo.

A compaixão de Vitória também foi direccionada a Valente, um cão que chegou no início de 2017 à clínica com fracturas e traumatismo craniano após um atropelamento. Embora tenha falecido alguns meses depois, ele foi confortado por Vitória durante todo o tempo em que esteve internado.

Vitória foi vítima do abandono de quem ela mais confiava: a sua família

A cadelinha foi resgatada pela ONG Associação Eu Sou Pró-Animal, que atua em Osasco e na Grande São Paulo em resgates de animais abandonados e vítimas de maus tratos. Até hoje, a entidade já conseguiu ajudar mais de mil animais.

A directora da ONG, Andrea Mussato lembra que Vitória vivia em uma casa com mais dois cães e um senhor idoso. Quando seu tutor faleceu, a família colocou os três animais na rua. Eles sobreviveram com a ajuda dos comerciantes da região, que ofereciam comida todos os dias.

Um dia, porém, enquanto brincava na rua, ela foi atropelada por um ônibus. As mesmas pessoas que a alimentavam não aceitaram a morte induzida, sugerida pelo veterinário que a socorreu, e voltaram para casa com Vitória e uma mera receita de analgésicos para a dor.

Bastante magoada e já sem movimentar as patas por conta de uma lesão na coluna, Vitória foi tratada como deu. “Eram pessoas humildes e fizeram o possível. Construíram uma espécie de barraco para ela ficar abrigada da chuva e cuidaram dos machucados”, conta a directora da ONG.

Vitória passou sete meses ali dentro, sem quase nunca sair. Foi quando a associação a encontrou, em meados de 2016. “Foi por acaso. Estávamos entregando algumas casinhas para animais abandonados e vimos o ‘barraquinho’ em que ela vivia”, lembra Andrea.

A cadelinha passou por diversos especialistas e até uma cirurgia, já que havia uma chance de recuperar os movimentos. A ONG, que depende de doações para sobreviver, realizou inúmeras campanhas para bancar os custos altos do tratamento. A demora no tratamento da lesão, no entanto, foi determinante: como a fratura já havia calcificado de forma errada, não havia muito mais o que ser feito.

Como cadelinha especial, Vitória dificilmente seria adoptada

Por conta do seu quadro grave, Vitória ficou “hospedada” na clínica CitVet enquanto recebia os tratamentos para seu quadro. Paraplégica e sem raça definida, no entanto, ela não teve nenhum interessado em adotá-la.

Mas o que poderia ser uma história triste tem um final feliz. Vitória fez da clínica sua casa. “Ela nossa estagiária, é meu grude”, brinca a veterinária Raíssa Garib Pacheco do Amaral, uma das profissionais da clínica “preferidas” de Vitória. “Aqui ela tem contato com gente 24 horas, é mimada, ganha comida e brinquedos. É a casa dela”, diz.

Raíssa conta que Vitória está tão à vontade que sabe o ritmo da clínica. “Quando vamos examinar algum animal, ela fica na sala observando tudo”, afirma. “Mas, quando caso é grave e temos que fazer procedimentos de emergência, ela sai da sala e nos deixa trabalhar. Ela simplesmente sabe o que fazer na hora certa”, diz.

Além de ajudar a cuidar dos animais que ali permanecem internados, Vitória também é importante para levantar o ânimo de quem trabalha na clínica. “Ela é a alegria do lugar. Aqui pode ser pesado às vezes, vemos muitas pessoas chorando. A Vitória nos anima nos dias difíceis, ela nos dá motivo para rir”, diz.

 

Classifica este Vídeo!
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
  10 

 



Visualizações: 531  -  Data: 08.08.2018 11:22  -  Votação: 0.00
Palavras Chave:  


 

 

Autor:

Comentário:
Não existem comentários para este vídeo

 

Criação de João Fernandes - jpedrofernandes.com
Desenvolvimento de Portugal Na Web - portugalnaweb.com
Copyright video-divertido.com todos os direitos são reservados © Politica de privacidade - 2006-2018